Notícias

Games para celular – De Snake a Candy Crush e além

Estes dias estava parado em uma fila, jogando um Candy Crush, quando me surgiu a idéia de escrever este artigo, comecei a pensar o quanto evoluímos em termos de games para celular e tablets.

Olha ele aí! 

Antigamente, bem lá no começo dos celulares, o que tinhamos eram joguinhos muito simplificados, que seja pelo som, seja pela imagem, lembravam os mini-games. Uma CPU e tela modestos, não havia muito o que representar, muitos em preto-e-branco, devido as limitações dos próprios aparelhos, o que lembrava praticamente os primórdios dos video games antigos.

Menção honrosa deve ser feita ao famoso jogo Snake, da Nokia, que mesmo sendo monocromático, acabava entretendo muita gente na fila do banco (sim, fila do banco também é coisa desta época)…

Joguinhos MIDP – Aqui, o desempenho
dependia muito do seu aparelho

Com o passar do tempo, os celulares estabeleceram um padrão para executar jogos, e o Java foi escolhido como uma plataforma fértil para os games. Então surgiram gerações de joguinhos MIDP, que tinham recursos um pouco melhores, mas ainda pecavam de controles mais interessantes, ficando com cara de jogos vindos diretamente do PC para o celular. Copiar, instalar e jogar no celular, ainda era uma tarefa complicada e para os mais fanáticos por joguinhos.

Angry Birds – Um dos primeiros ‘hits’
para smartphones

Enfim, veio o Iphone, os celulares touch, e com ele uma nova forma de interação com o celular, direto na tela, tocando, arrastando e soltando. Aos poucos foram surgindo empresas e desenvolvedores específicos para as principais plataformas (IOS e Android), e com ele, surgiram os primeiros grandes classicos feitos especificamente para o celular, como Angry Birds, Temple Run, Doodle Jump, Fruity Ninja entre outros.

Ao mesmo tempo, saíam jogos casuais, e outros mais elaborados, como os de PC, e com isto, apareceram os Tablets, dando suporte à jogatina mais ‘intensa’ e mais confortável com telas maiores e de melhor qualidade. Dentre estes jogos de grande apelo gráfico, destaco a série Asphalt, de jogos de corrida, e o excelente N.O.V.A., game futurista de tiro.

O grande trunfo dos games da atual geração, é que -em especial os games de celular- são pensados para os jogadores casuais (Casual gamers), aqueles que justamente tem de 2 a 5 minutos para uma partida rápida, ou para avançar um pouco por vez no jogo. Assim, a forma de jogar é traçada em torno de objetivos mais simples (que evita a desistência nos primeiros níveis) e contando com recompensas, em cada fase.

Candy Crush –  Alguém envie
uma vida extra, por favor!!!

Outra novidade nos jogos para celular é a presença do componente de redes sociais. A maioria dos joguinhos pode ser aproveitada off-line, mas se você estiver conectado, pode compartilhar muito mais que apenas o seu récorde. Os jogos permitem que se peça e se disponibilize vidas entre os amigos, como no caso do Candy Crush, e em outros casos, o internauta é o adversário, mesmo que esteja offline, como no Clash of Clans, jogo de estratégia.

Note que a maioria das pessoas não joga com joystick ou qualquer outro acessório que tenha botões, apenas para citar um exemplo de como é particular o modo de jogo casual para celulares. Alguns jogos utilizam até o balanço do aparelho (acalerômetro) como controle, como jogos de corrida ou espaciais.

Enfim, o mercado de games mobile cresceu, se fortaleceu e ganhou uma cara própria, diferente do mercado para PCs/Consoles. Algo certamente conquistado com estudo, análise, e a observação de milhares e milhares de jogos e jogadores.

E se você hoje curte uma jogatina de alto nível, pode ter certeza, cada um desses jogos acima, teve sua parcela de participação – até mesmo aquele primeiro jogo lá em cima, o da ‘cobrinha’.

Conte-nos o que você curte jogar no seu smartphone? Participe e divulgue nossos temas com seus amigos.

Um abraço e até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »