Comportamento

História por trás dos formatos de arquivos

time_mp3
Equipe responsável pelo formato MP3, em 1987

 

 

Assim como a Internet e a computação em geral, cada grande sucesso de público hoje, já foi uma simples e despretenciosa invenção, que em algum momento ganhou a preferência da maioria dos usuários de computadores.

Formato MP3

Em 1987, o IIS (Institut Integrierte Schaltungen), na Alemanha, juntamente com a Universidade de Erlangen, começou a trabalhar numa codificação perceptual de áudio para Digital Audio Broadcasting (Transmissão Digital de Áudio). Todo o trabalho resultou num algoritmo de compressão de áudio chamado MPEG Audio Layer-3, que tempos depois ficou conhecido como MP3.

Um dos objetivos da criação deste formato era conseguir reproduzir som com qualidade de CD com uma taxa de compressão razoável. Para gravar um CD, a taxa de gravação (bit rate) é de cerca de 1,4 Megabit por segundo. Em MPEG Audio Layer 1 e 2 (MP1 e MP2), as taxas são de 348 KB/s e 256-192 KB/s respectivamente. O MP3 conseguiu abaixar essa taxa para 128 e 112 KB/s. E mesmo com essa taxa mais baixa, a qualidade sonora foi mantida quase que totalmente. Isto foi possível graças às técnicas de codificação perceptual, que não é uma simples compressão de dados, mas sim, um método que consiste em somente utilizar as freqüências sonoras que são captadas pelo ouvido humano. Uma vez que um padrão de freqüência tenha sido definido para a audição humana, as demais freqüências (que não são captadas pelo homem) podem ser descartadas, já que não há razão para gastar espaço ao armazenar esses dados

Formato GIF

GIF

Sigla para Graphics Interchange Format, o GIF é outro formato bastante popular na internet. Foi criado pela CompuServe em 1987 e, assim como o JPEG, gera arquivos de tamanho reduzido, no entanto, seu uso não é muito comum em fotografias, já que é capaz de trabalhar com apenas 256 cores (8 bits). Por este motivo, sua utilização é muito frequente com ícones, ilustrações ou qualquer tipo de imagem que não necessite de muitas cores.

Há, no entanto, uma característica que faz o formato GIF ser conhecido até os dias de hoje: graças a uma revisão realizada em 1989, o padrão passou a ter a capacidade de suportar animações. Em outras palavras, o GIF passou a permitir a inserção de uma sequência de imagens em um único arquivo. Assim, quando um GIF nesta condição é exibido, cada uma das imagens inseridas é mostrada seguindo uma ordem, dando ao usuário a sensação de movimento.

O formato GIF ainda tem outro diferencial: é capaz de permitir um efeito conhecido como fundo transparente. Isso significa que um arquivo GIF pode ter áreas da imagem que assimilam a cor do local onde está sendo exibido, como se fosse, de fato, uma transparência. Por exemplo: se uma imagem GIF estiver sendo mostrada em uma página Web com fundo verde, as áreas “transparentes” do arquivo serão mostrados nesta mesma cor.

Formato PDF

Office_PDF1O formato PDF é um dos mais populares, quando trata-se de apresentar documentos com confiabilidade e mantendo a estrutura de impressão.

O PDF foi desenvolvido no início de 1990 como uma maneira de compartilhar documentos, incluindo a formatação de texto e imagens em linha, entre os usuários de computadores de diferentes plataformas que podem não ter acesso ao software de aplicação mutuamente compatíveis. Foi entre uma série de formatos concorrentes tais como DjVu, Envoy, Papel digital Common Ground, Farallon Replica e até mesmo próprio formato PostScript da Adobe. Naqueles primeiros anos antes da ascensão da WEB com seus documentos HTML, o PDF era popular principalmente nos fluxos de trabalho de editoração eletrônica.

A adoção do PDF nos primeiros dias da história do formato era lenta. O Adobe Acrobat, suite da Adobe para ler e criar arquivos PDF, não era livremente disponível. As primeiras versões do PDF não tinham suporte para hiperlinks externos, reduzindo a sua utilidade na Internet; quanto maior o tamanho de um documento PDF em comparação com texto simples, maior era o tempo para baixar o arquivo por modems lentos, comuns na época; a abertura de arquivos PDF era lenta nas máquinas menos potentes da época.

A Adobe distribuiu seu programa Acrobat Reader (agora Adobe Reader) de forma gratuita a partir da versão 2.0 em diante, e continuou apoiando o PDF original, que eventualmente se tornou o padrão de fato para documentos eletrônicos de formato fixo.

Em 2008, a Referência 1,7 de PDF da Adobe Systems tornou-se a norma ISO 32000: 1: 2008. Depois disso, o desenvolvimento de PDF (incluindo PDF 2.0) é conduzido com a participação de Adobe Systems e outros especialistas no assunto.

 

Fontes: Wikipedia / Infowester.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »