Comportamento, Opinião

Black Mirror – Uma série genial, e perturbadora ao mesmo tempo

Se você é fã de séries, já deve ter ouvido alguém sugerir que assista Black Mirror, da Netflix. Pois eu serei mais um a indicar.

A série inglesa, criada por Charlie Brooker, trata do impacto da internet e das mídias sociais na vida das pessoas. E posso dizer que apesar de ser uma obra de ficção especulativa, é perfeitamente possível se enxergar dentro das situações propostas pelo autor – e talvez este seja o maior impacto que a série traz aos espectadores.

No primeiro episódio, um sequestrador usa o Youtube para fazer suas exigências (um tanto absurdas) as autoridades Inglesas. E como está no Youtube, todo o mundo ficou sabendo… bem, o resto não posso dar spoiler.

blackmirror-2
Cena de um dos episódios de Black Mirror, onde a tecnologia sempre está presente.

Em outro dos episódios, somos apresentados a uma sociedade onde tudo que vemos com os olhos é gravado em um chip implantado em nosso corpo. Isto tem consequências previsíveis, como rever cenas do cotidiano, ‘lembrar-se’ de coisas que os olhos viram, e também outras implicações menos óbvias, como intrigas, suspeitas de traições, e ciúmes, pois tudo que é vivido, pode ser revisto na retina (inclusive relacionamentos passados).

Em um terceiro episódio, vive-se uma época onde todas as interações entre as pessoas rendem notas (rating) em um aplicativo de redes sociais. Percebe-se um esforço das pessoas em querer ‘agradar’ ou impressionar aos demais, para que recebam somente boas ‘notas’ (alguma semelhança com o que se faz no Facebook?).

A ‘nota’ que você acumula determina a que tipo de produtos/serviços você terá acesso, e mesmo a qual circulo de amizades que o aceitará como amigo.
Neste mundo, o que você faria para conseguir uma boa avaliação das demais pessoas?

blackmirror_3
Uma foto caprichada para ganhar muitos ‘likes’. Já viu isso na vida real ?

Enfim, os episódios colocam questões difíceis de se imaginar isoladamente, mas muito bem representadas em cena, o que nos transporta para dentro das histórias e faz refletir para onde podemos estar nos encaminhando neste mundo tão digital quanto artificial.

Os episódios não tem ligação direta uns com os outros, mas tem em comum esta visão ‘piorada’ do uso que a tecnologia pode ter na vida das pessoas.

Pra você que curte um filme ou seriado mais ‘cabeça’, vale muito a pena conferir.

Ah, e se você já assistiu BlackMirror, nos conte qual sua impressão, sem muito spoiler, claro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »