Notícias

Minha retrospectiva tech de 2017

E ai colegas, como vão as coisas? Por aqui tudo indo bem – corrido como sempre – mas bem. Passei pra dar aquela revisitada nos temas que mexeram com a minha vida e provavelmente a sua também em 2017. Vamos lá?

Redes sociais, chegamos ao limite?

Vimos durante este ano, diversos movimentos dos aplicativos de redes sociais, porém pouca inovação de fato. Um app passa a ter o recurso de Stories, e os outros  vem atrás. Outro, passa a aceitar vídeos, tal como ja faz o Facebook, e o Whatsapp começa a se mexer, se atualizando com itens que em boa parte já existem nos seus concorrentes. Novidade mesmo confesso que não vi muita, houve uma uniformização dos recursos que agora estão em quase todas as redes. Uma grande preocupação e poucas idéias realmente úteis para combater as tão temidas `Fake news` também tomou conta do noticiário, porém se nada realmente relevante. Será este o final da ascensção – e o início do fim para as redes sociais ?

Bitcoin e a explosão das Criptomoedas

Em 2017 os brasileiros – e o mundo – acordaram para o Bitcoin, após uma explosão no seu valor que fez muito nerd ficar rico. Para os que pesquisaram bem, sabem que é uma aposta de risco como qualquer tipo de ação na bolsa, e mesmo por isto, alguns já partiram para adoção de outras Criptomoedas ainda não exploradas a fundo, como Monero, Dash e o Ethereum. Da fato existem mais de 1000 Criptomoedas no mundo atual, e crescendo numa velocidade espantosa. Você pode então se desejar, escolher uma e fazer sua aposta para um futuro com muitos rendimentos – ou a decepção de ter escolhido a aposta errada…

Eu pessoalmente, entrei no ramo de mineração, mas não comprei equipamentos para isto (são muito caros). Investi alguns cobres em mineração em nuvem, algo que fica rodando ininterruptamente enquanto você leva sua vida normal. Eu estou usando o Hashflare.io, recomendo a quem quiser tentar a sorte e investir pouco.

Soluções IoT, e computação cognitiva nas empresas

Tivemos muitos casos de soluções empresariais utilizando a Internet das Coisas como alavanca para os negócios, como sensores e equipamentos que `avisam` a hora da sua própria manutenção, entre outras novidades. Temos o nosso parceiro Innovabiz, que entende do assunto e trouxe ao longo do ano diversos exemplos sobre isso. Para o ambiente doméstico, temos lançamento de alguns sistemas para automação residencial, mas ainda não surgiu aquele modelo simples, fácil e barato que popularize a tecnologia nas casas dos usuários finais.

Também tivemos muitas notícias sobre a tal computação cognitiva, área disputada pelas grandes empresas do mercado, como IBM, Microsoft e Amazon, visando colocar a máquina em lugares onde o trabalho é previsível, e pode ser ensinado à uma CPU. A inteligência artificial agora ajuda ferramentas de atendimento ao cliente com os chamados ChatBots, que ouvem, analisam e respondem boa parte das dúvidas dos clientes – muitas vezes usando uma linguagem humana e que faz o cliente nem desconfiar que está em contato com uma máquina.

A era dos apps que resolvem tudo

No mercado de aplicativos para celular, entramos na era dos apps que resolvem tudo online. Tivemos uma expansão das aplicações de locomoção (Uber, Cabify, 99), e uso racional de veículo (ZazCar, aplicativos de carona) e também de outras que ajudam o usuário a simplificar o seu dia a dia (como compras em mercado a distância, agendamento de consultas, solicitar comida e até gás de cozinha pelo celular).  Se popularizaram também modelos de negócio inimagináveis até o momento, como o Quinto Andar (que faz as vezes de imobiliária, mas 100% online), e o InstaCarro (onde você vende seu veículo rapidamente, sem sofrimento).

Internet Grátis 2.0

Este ano percebi um grande aumento na oferta de cursos e conteúdos online. Muitas pessoas fizeram o tal marketing digital, e começaram a por em prática seus negócios virtuais.

O modelo sofreu uma certa alteração daquela idéia surgida lá atrás, onde qualquer modelo de negócios só dava certo se fosse Grátis para o usuário final (obviamente alguém pagava pelo serviço). Hoje, é possível acessar os chamados conteúdos FREEmium, boas aulas de temas selecionados, e receber eBooks sobre assuntos do interesse – tudo quase gratuitamente, na verdade o que se quer é o seu cadastro e o seu e-mail, assim mantendo você informado sobre aquele tema, e tendo a chance de oferecer produtos de seu interesse lá adiante. O usuário final, parece ter se acostumado a idéia, e percebendo que não há `almoço grátis`, parece estar se acostumando bem com a idéia, enchendo a caixa de email dos sites com seu cadastro, e gerando chances de negócios futuros.

Apple e a dúvida com os 10 anos do IPhone

A Apple resolveu que deveria inovar, e fez isso à sua moda – ao invés de criar um super iPhone, com todas as modernidades, resolveu dividir a inovação em 2 partes, ou melhor, 2 aparelhos. O Iphone 8, que é a na prática um 7 melhorado, e o iPhone X, em homenagem aos 10 anos do modelo – sem botões, com tela infinita, e um preço que chega à extratosfera… O resultado são vendas apenas aceitáveis e uma grande interrogação nos acionistas e investidores, pois o modelo Top de linha (o X), não consegue decolar nas vendas. Na outra ponta, tivemos o Galaxy S8 da Samsung, que vendeu bem no ano, e tirou o sono da Apple, por ter chegado antes às lojas – desfazendo um pouco a má imagem que a Samsung deixou por causa de suas baterias explosivas.

Te cuida Netflix

A gigante do streaming expandiu ainda mais este ano, se tornando a queridinha também dos brasileiros, que em muitos casos deixaram de lado a tv a cabo. Surgiram muitas séries e até filmes próprios da Netflix, aumentando as opções para quem é assinante. Mas o fato que mais assusta seus executivos é a escalada de sistemas similares de outras grandes, como a Amazon, a HBO, e agora no final do ano, a Disney, que comprou a Fox e está se armando até os dentes para um grande duelo, anunciado para 2019. Melhor para quem é cliente, pois a disputa certamente vai melhorar a qualidade dos conteúdos, e acirrar o preço entre eles. A conferir.

Estes foram alguns dos destaques que me chamaram atenção em 2017. Agora é terminar o backup do ano (o meu está rodando ainda rsrs) e partir pro abraço.

Desejo a todos meus colegas leitores, um feliz 2018, cheio de novidades e inovações na sua mesa, no seu bolso, e na palma da sua mão.

Até a próxima!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »